Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Qui | 06.04.17

Dicas para viajar com duas crianças pequenas

 

milton e maria no aviao.jpg

 

 

Em primeiro lugar: 

 

Muito planeamento e feito com antecedência.

 

Comprámos as viagens, alugamos a casa e o carro duas semanas antes da viagem. Na mesma altura, decidimos quantas malas íamos levar no porão e na cabine, e fizemos várias listas com tudo o que queríamos levar. 

 

Apesar de todo o planeamento, e por ter sido a primeira vez que viajávamos com as duas miúdas, nem tudo correu maravilhosamente mas, tudo somado, o saldo foi mais que positivo.

 

 

A bagagem

 
- Levámos apenas uma bagagem no porão e uma de mão para cada adulto e criança. Foi o suficiente mas, ainda assim, levei coisas a mais para mim e para as miúdas. Levei roupas e mantas a mais.

- Acertei no número de brinquedos, usou-se praticamente tudo. Levei um livro de pintar, lápis de cera, um quadro de desenhar magnético (dos mais pequenos), plasticinas e sacos pequenos para a arrumar, o livro de histórias preferido da Lara, quatro pequenos fantoches de madeira que a Lara adora, dois ou três brinquedos para a Maria e alguns balões.

 

- Levei garrafinhas de água, iogurtes, papas instantâneas e bolachas. Como estamos a viajar com crianças podemos levar água na cabine do avião. Levei o minimo de cosméticos e produtos de higiene. Guardei o espaço para levar os cremes para o eczema da Maria. Para os outros levei amostras de champô e comprei no destino sabonetes de glicerina (que dão para tudo: cara e corpo).

 

- Como é quase certo trazermos mais bagagem para casa, é bom deixar algum espaço livre para isso.

 

 

O carro

 

- Reservámos o carro junto com a viagem de avião e o preço foi bem simpático. O mais aborrecido foi ter que levar cadeiras de automóvel para as duas (alugar uma cadeira para criança era tão caro como o aluguer do automóvel) mas aproveitámos o ovo do carrinho da Maria que também dá para usar no automóvel. Mesmo assim foi chato transportar tudo. O que vale é que recolhemos e deixámos o carro logo no aeroporto.

 

- Escolhemos um carro grande, de 5 lugares e bagageira espaçosa. Foi uma boa escolha, ficámos muito satisfeitos com o carro que, depois de várias voltas por Almada e Lisboa, e uma viagem a Alpiarça, gastou apenas 30 euros de gasolina.

 

 

A casa

 

A casa foi o que correu menos bem. 

- Reservámos no Airbnb e o preço e localização foram excelentes. Ficámos no centro de Almada Velha, a poucos metros de tudo e mais alguma coisa. Não podíamos estar melhor localizados.

 

- No entanto a casa ficava no segundo andar de um prédio antigo e, de cada vez que saíamos todos, tinhamos que transportar crianças e carrinho por umas escadas antigas bem chatinhas.

 

- O apartamento era simpático e bem decorado, tinha uma televisão enorme com vários canais (que foi muito útil para as avós verem novelas e as filhas verem desenhos animados de vez em quando), estava relativamente bem equipado.

 

Mas existiram vários pontos negativos que devíamos ter averiguado antes de ter alugado a casa:

 

- A existência ou não de elevador

- A possibilidade de ter um berço no quarto. Felizmente uns tios emprestaram-nos uma cama de viagem para a Maria e uns colchões para a Lara e, assim, pudemos dormir todos muito melhor. Ainda dormimos com a Lara duas noites mas, invariavelmente, ela sentava-se na cama a meio da noite, tirava a roupa de cima dela e de nós e punha-se a dormir com a cabeça para o lado dos pés. Ela faz isso quase todas as noites o que, naturalmente, nos estava a dificultar grandemente o descanso.

 
- Existiram outras questões como o colchão de molas desconfortável (sentia as molas no corpo todo), a cozinha muito pequena que não permitia que comessemos todos ao mesmo tempo, e o facto da casa só ter porta nos quartos e casa de banho o que fazia com que se sujasse rapidamente e que, se estivesse frio, o sentissemos mais.
 
Apesar disto, no geral, gostámos da casa e seríamos capazes de voltar (se ficássemos noutro andar e com a possibilidade de berço no quarto).

 
 
As refeições
 
- Fizemos quase todas em casa e correu muito bem. Não havia forno mas fizemos sopas, saladas, e umas omeletes gourmet com facilidade.

 
 
Durante a viagem de avião e carro
 
- Fomos entretendo a Maria e a Lara como pudémos e, quando a coisa começava a ficar preta, sacávamos do iPad ou do iPhone, benditos objetos que usados como deve de ser e sem exageros, são de muita utilidade.
 
Na viagem de carro para Almada, de noite, com o trânsito parado por causa de um acidente, com elas cansadíssimas e rabugentas, se não fossem os desenhos animados no iPad e no iPhone (para conseguirem ver as duas qualquer coisa tinha que ser um para cada uma) teríamos chegado a Almada todos fritos. Para além do cansaço da viagem, tinhamos o stress de não conhecermos o caminho nem estarmos habituados a conduzir em Lisboa.
 
- Durante as viagens longas, a Lara usou fralda (daquela tipo cueca). Não foi necessário mas mais vale prevenir que remediar.

 
Foi isto.
 
Não foi tão complicado como esperámos mas, com mais planeamento e menos bagagem, teria corrido ainda melhor.
 

 

 

 

 

 

Comentar:

CorretorEmoji

Notificações de respostas serão enviadas por e-mail.

Este blog tem comentários moderados.