Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Seg | 05.12.22

Fiquei uma semana sem carro e sem telemóvel

Purpurina
  Na semana passada o nosso carro foi para a oficina e lá ficou durante uma semana. Ao mesmo tempo o meu telemóvel, que andava a funcionar cada vez pior, deixou de funcionar de todo. Comprei outro, em segunda mão, mas demorou uma semana a chegar por correio. Fiquei, assim, sem carro e sem telemóvel. Obviamente que não é nenhuma desgraça, mas  acho que poderia ser encarado como um aborrecimento. Mas não foi. De todo.  Passei muito bem. De manhã, fazíamos todos uma bela (...)
Qui | 01.12.22

Lara #47

Purpurina
A Lara está sempre a fazer coisas para nos oferecer. No outro dia ofereceu-me um pinguim de papel, uma espécie de origami matrioska de onde iam saindo pinguins de papel mais pequenos. Acho incrível como uma miúda de 8 anos tem a capacidade de nos fazer tão felizes!
Seg | 28.11.22

A nossa cozinha

Purpurina
Este é um bocado da minha casa, da cozinha. Nesta fotografia encontra-se um pouco da biografia da minha família. Ora vejamos, da esquerda para a direita: desenhos na parede, feitos pelos meus filhos na creche, entre os 2 e os 4 anos; um quadro feito pela Lara num curso de pintura; numa praleira, frascos com aveia, massa integral e folhas de chá secas, do quintal de amigos. Ao lado das folhas de chá, cartas para o Pai Natal dos meus 3 filhos, inclusive da mais crescida, com 8 anos, (...)
Ter | 22.11.22

5 razões pelas quais não conduzo

Purpurina
Tenho carta de condução desde os 18 anos. Passei nos testes à primeira e conduzi, regularmente, durante algum tempo. Gosto de conduzir "para a frente" ou seja, não gosto de fazer grandes manobras com o carro e não sei estacionar em lugares apertados. Sabem aquela sensação do carro ser uma extensão de nós e agirmos com a desenvoltura de fazer o que quisermos com a máquina? Não sei o que é. Nunca soube. Entretanto fui viver para Lisboa e passei a andar sempre de metro. (...)
Qui | 17.11.22

Deliciosos pastéis de alho-francês no forno, como alternativa à sopa

Purpurina
Esta semana fiquei sozinha com os miúdos por quatro dias, o que me deixa sempre um pouco stressada. Normalmente estamos sempre juntos e eu e o Milton repartimos todas as tarefas entre nós. Estar sozinha com eles implica ter de tratar de tudo sozinha: gerir as emoções e potenciais conflitos entre eles, tratar dos lanches, das refeições, da roupa, dos banhos e de tudo o que envolve a rotina de 3 crianças. Obviamente que existem imensas pessoas que estão acostumadas a tratar, (...)
Seg | 14.11.22

Os melhores livros que já li aos meus filhos

Purpurina
Encontrar bons livros para crianças não é fácil, pelo menos para mim. Por outro lado, rodear os meus filhos de livros, desde que eram bebés, é praticamente uma das minhas missões mais importantes como mãe.  Deposito muita esperança nos livros: espero que entretenham os meus filhos, que os façam sonhar, que os façam rir, acreditar em magia, que os façam viajar e, também, que lhes ensinem um pouco do que é realmente importante na vida. Entre as centenas de livros para (...)
Qui | 10.11.22

Rolo de atum para desenrascar um jantar

Purpurina
Quem é fã de sopa nesta casa? Ninguém. Todos comemos porque é prático, é saudável, é cultural, mas adorar mesmo, ninguém adora. De modo que, pelo menos para as crianças (Milton incluído), é sempre melhor ter uma alternativa à sopa. Nestas demandas encontrei uma receita muito interessante na página  A Pitada do Pai, que adaptei ao nosso gosto e conveniência: rolo de atum. (...)
Seg | 07.11.22

A enervante imaginação que se tem aos quatro anos

Purpurina
O Milton precisava de substituir uma lâmpada do farol do carro e, após comprar a dita cuja, guardou-a algures perto do manipulo das mudanças.  Estávamos a regressar com os miúdos da escola, quando ele se lembrou de que poderia colocar a lâmpada nessa tarde e começou a procurá-la junto ao local onde a tinha deixado. Não a encontrou. Eu procurei também e nada.  Perguntámos aos miúdos se tinham mexido nela. Diz o Eduardo: "Sim, tirei-a para brincar com ela." Nós:  "E (...)