Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Seg | 28.12.20

20 coisas muito boas de 2020

IMG_4636.jpg


2020 foi um ano desafiante para muitos de nós. E eu não quero, de forma nenhuma, minimizar tudo o que aconteceu de menos bom para muitas pessoas.
Mas 2020 teve muitas coisas boas. Quando olho para trás não consigo deixar de pensar em todas as coisas boas que este ano teve. E sinto verdadeira gratidão por tudo de bom que tive este ano, mesmo as coisas aparentemente mais simples.

Acho que tenho uma natureza otimista que me obriga a esquecer rapidamente as coisas más e a lembrar-me só das boas. 

Sabem quando acabamos uma relação amorosa e, por algum motivo, anos mais tarde nos lembramos de como nos costumamos sentir na relação? Eu só me lembro das coisas boas. Claro que vai depender muito das situações, mas acho mesmo que podemos tirar ensinamentos e coisas excelentes de tudo.

Até as pessoas mais aborrecidas que passam pela nossa vida nos ensinam alguma coisa. Tenho uma noção muito clara disso.

Colocada esta (não tão breve) introdução, seguem 20 coisas positivas que encontro em 2020.

  1. Eu e a minha família tivemos boa saúde. Com a história do confinamento, e durante a quarentena, as minhas alergias, que me deixavam a espirrar dias inteiros, nem deram sinal de si. O mesmo em relação aos miúdos: nada das habituais viroses que de quando em vez se apanhavam na escola.

  2. Passei muito tempo com a minha família e isso foi mesmo muito bom. Estarmos enfiados num apartamento pequeno durante tanto tempo, obrigou-nos a ser mais criativos, tolerantes e pacientes.

  3. Aproveitámos a quarentena para desfraldar a Maria de vez. Estávamos com umas questões com o cocó porque ela só fazia na fralda e, com tempo e paciência, conseguimos ultrapassar essa questão sem grandes stresses. Desfraldou de noite, também , e correu muito bem.

  4. Aproximei-me mais de familiares que estão longe e com quem percebi que poderia ter uma relação muito mais próxima. E o melhor é que aconteceu tudo muito naturalmente. Simplesmente, percebi o que as pessoas significam para mim.

  5. Apesar da pandemia, e mantendo ao máximo do que conseguia os cuidados necessários, foi possível estar com amigos muito queridos e perceber que gosto mesmo muito de um ajuntamento, de conversar e estar com pessoas. Cada momento passado com amigos é, para mim, muito valioso.

  6. Retomei o Yoga com força e há muitos meses que faz parte da minha rotina diária. Noto diferenças em relação a outras fases porque, agora, é algo sem o qual não quero mesmo passar. Mas ainda tenho muito que caminhar.

  7. Fiz um retiro de Yoga online. Cumpri tudo o melhor que pude e foi muito bom.

  8. Retomei hábitos de leitura. Nada que se pareça com o que lia antes mas, mesmo assim, estou muito satisfeita com o que tenho lido.

  9. Há muito tempo que não me sentia tão entusiasmada com o meu trabalho. Não se trata tanto de passar a fazer coisas de que gosto, mas de passar a gostar mais das coisas que surgem. Tenho sido feliz assim.

  10. Continuo a adorar viver num apartamento pequeno. Pode parecer louco, mas é verdade. Adoro que estejamos sempre todos juntos, gosto de saber onde estão todos e da liberdade de poder fazer as limpezas rapidamente. Acho que é isso que me tem impedido de mudar de casa.

  11. Agora em relação ao mundo: creio que após os primeiros tempos marcados pela caça ao papel higiénico, as pessoas caíram em si e se revelaram em toda a sua humanidade, ajudando-se umas às outras e cuidado do próximo.

  12. O ambiente parece ter ficado mais limpo com a paragem das pessoas em todo o mundo. Isso não deixa de ser algo muito positivo.

  13. Sei que isto já não é novidade nenhuma, mas nunca deixo de me emocionar ao ver vídeos como este. Nesta altura Roma estava mesmo numa situação difícil e, ver alguém tocar saxofone à janela, em Roma,  deu-me mesmo muita esperança na humanidade. Sei lá, estas coisas deixam-me mesmo emocionada e a chorar baba e ranho.

  14. Parece-me que as pessoas começaram a dar importância ao que realmente importa. Se calhar é impressão minha ou tenho uma visão das coisas muito seletiva, mas já não vejo as pessoas a correrem tanto atrás do material. Parece-me que se interessam cada vez mais por experiências e menos por coisas.

  15. Na cidade onde vivo passaram a existir entregas em casa. Sei que isso já acontece há anos em outras cidades, mas em Ponta Delgada não. Isso trouxe uma qualidade de vida imensa a muita pessoas. A mim trouxe, certamente.

  16.  O Trump foi andando. Noticia boa.

  17. As pessoas tornaram-se mais conscientes. O uso de máscaras, a desinfeção das mãos e algum distanciamento social podem ser hábitos muito úteis no futuro, na prevenção de doenças em geral.

  18. As pessoas tornaram-se mais solidárias. Pelo menos tenho visto mais ações de solidariedade do que nunca e uma grande adesão a elas.

  19. Menos consumismo. Aprendemos que podemos consumir menos e sobreviver muito bem. Quanto a mim,  mal ponho os pés no centro Comercial. Mas ajudo a economia local consumindo produtos locais sempre que possível e investindo mais em restauração e alojamento local.

  20. Criamos resiliência e união. Os melhores cientistas do mundo trabalharam juntos par um único objetivo. Isso é bonito.

Alguém com mais itens para acrescentar a estes?

 

 

1 comentário

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.