Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Ter | 24.01.17

7 coisas fantásticas que consegui fazer no fim de semana

1- Almoçar sozinha com o Milton

 

Aproveitámos um dia em que ele tirou férias para tratar de umas “papeladas” e almoçámos juntos no Anfiteatro. Já não me lembro há quanto tempo tínhamos comido uma refeição inteira os dois, sozinhos e sem ser a correr.

Comi um excelente hambúrguer de vaca (o único prato de carne vermelha do mês) e uma sobremesa divinal: tiramisu de espécie (um doce típico da Ilha de São Jorge com um sabor delicioso a especiarias). Esta sobremesa foi a melhor coisa que comi nos últimos meses (ou anos)! Estava uma delícia! Acho que se não tivesse vindo dentro de um frasco de vidro -  relativamente estreito e alto - teria lambido o prato.

 

tiramisu.jpg

 

 

2- Beber café com o Milton e a Maria num dia de sol, numa esplanada à beira-mar

 

A Lara ficou na avó e levámos a Maria connosco para uma esplanada à beira-mar. O tempo estava tão bom e estava-se tão bem ali que acabámos por ficar mais tempo e almoçar por lá.

Fiquei com pena de não termos levado a Lara, ainda por cima com um dia de sol tão bonito, mas soube bem estar ali só com a Maria, a dar-lhe toda a atenção que não conseguimos dar-lhe num dia comum. Ela é uma bebé tão querida e tão fofinha e, às vezes, parece que cresce sem darmos por isso e sem usufruirmos o suficiente deste tempo único e especial em que ela é uma bebé pequenina.

 

Ela portou-se lindamente e parece ter gostado de estar ao ar livre e apanhar algum solinho (com muito cuidado como é evidente).

 

na esplanada a ler.jpg

 

 

3- Fazer yoga

 

Recomecei a fazer yoga e foi o melhor que fiz.

A alteração que se dá no meu humor e capacidade de foco quando faço yoga é enorme. Fico logo mais calma e muito mais capaz de enfrentar dias e noites bastante longas.

Estive algumas semanas sem fazer e comecei logo a ficar mais irritadiça, mais cansada e com a mente muito mais lenta (claro que a falta de sono também terá a sua percentagem de responsabilidade nisto).

Vou tentar fazer yoga regularmente, se não for todos os dias, pelo menos  3 a 4 vezes por semana.

 

 

4- Ver a Lara fazer o seu primeiro desenho

 

Brinco com a Lara praticamente todos os dias mas nem sempre tenho a mesma paciência e a mesma vontade de brincar ativamente com ela. Muitas vezes, estou ali de corpo presente, a falar com ela e com a cabeça nas 1000 coisas que tenho para fazer.

Este fim de semana estivemos a brincar no quarto dela, enquanto a Maria dormia a sesta e o pai corria, e dei por mim maravilhada a ver como ela brincava e já fazia coisas “complexas”.

Senti-me toda orgulhosa a ver as suas construções de lego, simétricas e bonitas, e mais ainda ao ver o seu primeiro desenho.

Infelizmente foi num daqueles quadros magnéticos em que se desenha e apaga logo, por isso, não foi possível guardar o desenho para sempre, mas tirei uma fotografia daqueles que foram os primeiros “rabiscos com sentido” que a minha filha fez.

 

Antes do dia 21 de janeiro de 2017, só tinha visto a minha filha fazer riscos, pontos e círculos mais ou menos aleatórios. Desta vez ela fez uma cabeça, com dois olhos, nariz e boca, duas pernas e dois pés, um chapéu, um bigode e uma barba: o pai, disse ela.

 

Fiquei tão feliz como se ela tivesse feito uma autêntica obra-prima.

 

desenho da Lara.jpg

 

 

5- Passar um dia inteiro sem Internet

 

Já o tinha feito na semana passada e voltei repeti esta semana. O plano é tornar-se um hábito.

Não acedi à Internet durante todo o dia e noite de domingo.

 

É impressionante como o tempo parece estender-se. O facto de saber que não poderei ir à Internet dá-me um descanso mental que me permite fazer todas as outras coisas com mais calma e concentração.

Assim se vê o mal que o estar “sempre online” faz à nossa mente e à nossa qualidade de vida.

Sinto-me mesmo livre, focada e muito mais serena e feliz.

 

Está decidido: domingos sem net sempre.
(Em relação ao Blogue, deixo sempre alguns posts agendados para o domingo).

 

 

6- Tirar uma hora só para mim e ler um livro

 

Aproveitei uma sesta da Maria para deixar o Milton com a Lara em casa e saí para beber um chá e ler um livro, durante cerca de uma hora. No sábado, foi a vez do Milton ter uma hora só para ele.

Foi fantástico! Eu sei que é uma coisa muito simples, que muitas pessoas têm como garantido todos os dias mas, para mim, é um luxo. E é um luxo que me dá muito prazer.

 

Estou a ler “A Hora do Vampiro” de Stephen King e a gostar muito.

 

chá e livro.jpg

 

 

7- Estar com amigos e dar a oportunidade à Lara de brincar com outras crianças

 

Uma das coisas que me dá mais prazer é ver as minhas filhas (neste momento mais a Lara) a interagir com outras crianças. Felizmente, eu e o Milton temos muitos amigos com filhos pequenos e quase todos os fins de semana a Lara brinca com meninos e meninas da idade dela.

 

Na sexta-feira eu e a Lara fomos a casa de uma amiga, que também é nossa vizinha, e a Lara esteve na brincadeira com o filho da minha amiga, enquanto nós colocávamos a conversa em dia. No inicio estava um bocadinho tímida mas no fim veio para casa a choramingar.

 

No domingo, fomos dar uma volta pela cidade com um amigo e a filha dele que tem mais 2 anos que a Lara e é muito meiguinha com ela e, depois do passeio, as miúdas convenceram-nos a prolongar o convívio lá em casa para elas poderem brincar mais um bocadinho.

 

Confesso que acho muito gira esta fase da Lara fazer “birras” para poder estar mais tempo a brincar com outras crianças. Está tão crescida a minha filha!

 

E foi muito isso o meu fim de semana.
Claro que houve muito mais atividade mas isto foi, de todo, o melhor!

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.