Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Seg | 27.04.20

A festa de 6 anos da Lara, mesmo antes de começar a quarentena



IMG_0660.jpg


A Lara fez 6 anos no último dia de escola, quando já se sabia que as escolas iriam fechar a partir da segunda-feira seguinte. 

Ela tinha pedido para fazer uma festa na escola, com pula-pula, tal como fez no ano passado e os seus amiguinhos costumam fazer. Já tínhamos tudo marcado mas ponderámos cancelar.

Pensámos mesmo muito no que havíamos de fazer mas, uma vez que a Lara iria à escola de qualquer maneira e a festa era só connosco e com os colegas com que ela iria estar o dia todo, achámos por bem fazer a festa. Assegurámo-nos de que o pula-pula era desinfetado e concluímos que a festa não iria representar  perigo extra para nenhuma criança, e seria até uma forma alegre e feliz de passar o último dia de escola antes da quarentena.

Não sei se foi pelo ambiente de incerteza que já se ia sentindo, mas o certo é que fiquei mesmo muito feliz por não ter cancelado a festa. 

A Lara e todos os seus amiguinhos estiveram tão alegres, tão felizes e tão alheios ao que se passava, que me encheu o coração estar ali, naquela tarde, a brincar com crianças felizes e serenas. Nunca me lembro de ter brincado tão alegremente com tantas crianças diferentes na vida. Tive a sensação que conheci um bocadinho melhor cada um daqueles meninos e meninas e concluí que são uma turma fenomenal. Todos uns queridos!

A Maria e o Eduardo também estiveram presentes e foi uma alegria vê-los a divertirem-se com as outras crianças. Até a Maria, que não costuma ser muito sociável, estava ambientadíssima com os colegas da Lara e esteve sempre divertida a pular e a brincar.

Os miúdos comeram as comidinhas que tinha levado (o que me deixa sempre muito satisfeita comigo própria) e vários disseram-me que as queijadinhas de leite estavam "mesmo boas". 

Acho que no ano passado não comeram quase nada por isso, fiquei duplamente satisfeita com o resultado da festa.

No fim, ficámos com a sensação de ter proporcionado um momento feliz aos nossos filhos e a outras crianças e isso foi mesmo muito reconfortante.

Entretanto já tínhamos feito umas compras maiores e eu já tinha ido à biblioteca buscar 20 livros para a quarentena.

Posso dizer que tudo começou de uma forma pacífica e feliz e, 3 semanas depois, estes tempos prometem ser desafiantes e diferentes de tudo o que já vivemos, mas com muito potencial para serem transformados numa coisa muito boa. Temos aqui uma boa oportunidade para redefinir a nossa ideia de felicidade e aquilo que realmente importa.


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.