Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Qui | 08.06.17

A magia da praia aos olhos de uma criança... que se vai alterando com a idade (ou não)

 

2015-07 - 225 (1).jpg

 

Lembro-me com muitas saudades dos sábados e domingos em que acordávamos às 4 da manhã para ir à Costa da Caparica. Saíamos de casa ainda de noite.

 

Era preciso ir cedo para não apanharmos filas de entrada na Costa. Então, de manhãzinha muito cedo, lá iamos nós para a praia. 

Chegávamos e a praia estava praticamente vazia. A minha mãe e as minhas tias (quando também iam) iam comprar fruta e pão fresco para os lanches, o meu pai montava o chapéu, um chapéu de pano enorme onde cabia uma família inteira, e nós as crianças iamos enchendo as boias cheias de entusiasmo, a antecipar o momento de entrar na água (o que nunca levava muito tempo).

 

A maior parte das vezes íamos com tias e primos de Almada mas também cheguei a levar amigas da minha escola para a praia. Fosse como fosse, era sempre bom, divertido e mágico.

 

Lembro-me de me sentir entusiasmadíssima quando começava a ver o mar. Era uma alegria imensa, uma sensação única que tinha todas as vezes que íamos à praia. Uma felicidade enorme ao ver o mar, ao colocar os pés na areia, ao caminhar para a água e ao dar o primeiro mergulho, e o segundo, e os outros todos.

 

Com o tempo isso foi-se perdendo. Continuei a gostar de ir à praia mas o entusiasmo de criança foi deixando de existir. Agora já me chateia se chove, se está vento, se está muito sol, se a praia tem muita gente.

 

Na verdade até consigo sentir as mesmas emoções que sentia quando era criança e via o mar... mas só se for o mar das caraíbas, ou de uma ilha grega. :P

 

Com 8 anos, ia à água mesmo se estivesse a trovejar (acho que chegou a acontecer) e era ótimo na mesma. Se não tivesse fato de banho ia de vestido mesmo. 

 

Agora que tenho as miúdas, parece que revivo tudo pelos olhos delas. Elas estão entusiasmadas e eu também estou (por elas). É uma coisa intrigante isto de passarmos a ver o mundo pelos olhos das crianças outra vez e é uma das melhores coisas da maternidade.

 

Só que agora parece que não é tão simples ir à praia.

 

Antes, bastava um fato de banho, protetor solar e as mãos para fazer túneis na areia, castelos e muralhas à volta do chapéu para protejer as toalhas quando a maré enchia. O que era um trabalho tolo porque acabavamos por ficar todos encharcados na mesma quando adormecia-mos na toalha e as pequenas paredes de areia eram galgadas pela água, quando a maré enchia (que belos tempos esses).

 

Agora já não vamos à praia sem protetor mineral, ponchos para os miúdos ficarem mais confortáveis, fatos de banho especiais anti UV, chapéus e óculos de sol xpto, tendinhas para as crianças mais pequenas, piscininhas insufláveis e uma data de brinquedos.

 

E também está bem assim. :D O que conta é a alegria e a felicidade de estarmos todos juntos a divertir-nos só de fato de banho e toalha velha, com a parafernália toda a trás, ou num meio termo entre as duas coisas.

 

Nós por cá, temos um kit de emergência no carro para quando der vontade de ir à praia: fatos de banho para todos e algumas toalhas. 

Mas, pelo sim pelo não, também levamos parafernália xpto para as crianças, como esta aqui em baixo. Como diria alguém: "O que interessa é participar".



Não esquecer que praia só nas horas de menos calor, de manhã cedinho ou ao final da tarde, mesmo com roupa xpto, protetor solar e chapéu. recomendações de pediatras e dermatologistas.

 

As coisinhas abaixo são algumas das que levamos para a praia (faltam-me os fatos anti UV) e que achamos de grande utilidade. Em calhando também levamos bonecos que cospem água, banheiras para bonecas, bolas insufláveis e braçadeiras.

 

Se acharem piada a estas coisinhas e quiserem saber preços e detalhes é só clicar nas imagens.

1 comentário

Comentar:

CorretorEmoji

Notificações de respostas serão enviadas por e-mail.

Este blog tem comentários moderados.