Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Sab | 25.11.17

As nossas manhãs doidas

IMG_6153.JPG



As nossas manhãs são mesmo muito doidas.

Até temos uma rotina mas, mesmo assim, levamos cerca de duas horas desde que nos levantamos até sairmos de casa.

Ultimamente a Lara acorda a meio da noite e vem para a nossa cama. Acaba por dormir lá o resto da noite (o que a mim não me incomoda nada) mas até adormecer faz uma conversa, dá uma festinha, quer um abracinho e um monte de miminhos aos quais não resistimos e com certeza retribuímos mas, a soneca que é boa e necessária vai por um canudo.

A Maria é a primeira a acordar e não é raro estar cheia de cocó e muitas vezes chichi. Às vezes tem chichi até ao pescoço e é preciso lavá-la.


A miúda tem um mau acordar e mesmo que seja só mudar-lhe a fralda de manhã já é motivo para gritos e berrarias. O que ela gostava era de ser servida logo com 2 litros de papas de aveia na cama.

A Maria é sempre a primeira a comer senão acontece um escândalo e o prédio treme todo. Felizmente a Lara tem ficado a dormir mais um pouco que é quando aproveito para vestir e dar de comer à Maria (enquanto o Milton toma banho).

Depois de comer duas taças de papa a Maria vai ver um bocadinho de desenhos animados (que tenham sapos de preferência) e vou acordar a Lara, vesti-la e alimentá-la. Vai também ela ver desenhos animados enquanto eu tomo banho e o Milton trata das marmitas de todos e do nosso pequeno almoço.

Antes de sairmos, faça chuva ou faça sol, a Maria exige um chapéu na cabeça (um gorro com dois pompons que era da Lara e agora é dela). Se não sabemos do gorro é um escândalo (temos que treinar isto dos escândalos, eu sei).

Eventualmente cada uma delas escolhe um brinquedo para levar no carro e, mesmo assim, acabarão a brigar no carro pelo brinquedo da outra.

Para acalmar os ânimos, costumo cantar “O Sapo não lava o pé” com a Lara, o que parece entreter as duas muito bem e deixar o pai ligeiramente aborrecido (temos pena).

Já na escola, ainda tenho tempo de observar os outros pais e constatar uma realidade engraçada (mas não surpreendente): as mães geralmente desgrenhadas e apressadas e com um ar muito ocupado e os pais a caminhar tranquilamente com os seus filhos até ao colégio, mesmo que sejam 3 em vez de um.

Fiquei a pensar nisto e resolvi imitar esses pais e levá-las muito tranquilamente para a sala (mesmo que fossem quase 9 horas). Com a Maria resultou lindamente mas a Lara colou-se a nós numa despedida cheia de beijos e abraços durante longos minutos (deve ter sentido a abébia no ar.) :D

E têm sido assim as nossas manhãs.

E há dias em que a Maria chega à creche com um presente mal cheiroso na fralda.

É uma alegria. :D Mesmo.

1 comentário

Comentar:

CorretorEmoji

Notificações de respostas serão enviadas por e-mail.

Este blog tem comentários moderados.