Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Qua | 01.06.16

Carla, a palhaça ou Tudo o que fazemos pelos nossos filhos

pantera de balão

 

Na creche da Lara existem muitas atividades para os pais e mães. Mesmo bastantes. O que, em geral, é bom.

 

É bom podermos envolver-nos com as atividades dos nossos filhos, conhecer melhor as pessoas e as crianças que passam tempo com eles, familiarizarmos-nos com o ambiente onde eles passam a maior parte do tempo e, não menos importante, passarmos mais tempo com os nossos filhos a fazer coisas com eles e para eles.

 

O facto é que, para pessoas tímidas e reservadas como eu, a coisa resulta um pouco bicuda.

 

Já recusei algumas atividades da escola como por exemplo cantar em público. Até podia alegar que foi um gesto de altruísmo e que não queria ferir os tímpanos de ninguém, mas a verdade é que não tive coragem. Já foi há algum tempo e achei que para a Lara não seria muito relevante ver-me a cantar num grupo de senhoras. Provavelmente ela nem ia dar por mim. Também não gosto especialmente de vender rifas, normalmente compro-as todas, mas tento esforçar-me para estar presente em todas as outras atividades da escola.Depois da situação que relato aqui, prometi a mim mesma que não deixaria a minha filha mal e, como sou daquelas pessoas estranhas que gosta de acreditar que existe pouca diferença entre o que pensa, diz e faz, tenho feito um esforço para por de lado a timidez e fazer tudo o que for preciso para deixar a minha filha feliz.

 

Isto para dizer que, no mês em que se comemora o dia do pai e o dia da mãe, cada pai e cada mãe é convidado a passar uma horinha numa atividade com as crianças, na creche.

 

Quando calhou ao pai, achei a ideia excelente e maravilhosa e dei todo o apoio ao Milton para ir cantar músicas da carochinha à creche.

 

Quando calhou o mês da mãe, entrei em pânico. O que é que eu ia fazer para 15 crianças pequeninas? Não tenho nenhuma habilidade especial e entreter crianças nunca foi o meu forte. Depois, precisava de arranjar algo que gostasse de fazer, para não parecer que ia para ali apanhar uma seca (tenho verdadeira dificuldade em esconder os meus sentimentos).

 

Depois de muito pensar, cheguei a uma decisão. Ia fazer animais com balões. Não sabia fazer, nunca tinha feito nada parecido e, para além disso, tinha fobia de balões a rebentar mas... o que é que isso interessava? Fui ao chinês, comprei balões de modelar, uma bombinha para encher os balões e pus-me a ver tutoriais no youtube.

 

Quando o Milton chegou a casa, no meu primeiro dia de experiências, mostrou um espanto enorme. Disse que o circo tinha-se instalado na nossa sala de estar e perguntou-me se já tinha arranjado o nariz de palhaço.

 

Grrrrr. Fiquei possessa. Não percebi o espanto e muito menos a desconsideração pela minha escolha. Ele disse que não havia desconsideração nenhuma, só achava que fazer animais de balões, ou qualquer outra atividade circense não tinha nada a ver comigo. Discordei completamente.Para começar, gosto sempre de aprender coisas novas e, se é para fazer alguma coisa na creche da Lara, que seja algo que agrade as crianças e que seja divertido também para mim e o que pode ser mais divertido e gratificante que aprender algo novo? Para mim é divertido aprender a fazer animais de balão, ora essa!!!!Passei mais de uma semana a aprender a fazer animais e a encher a sala de todo o tipo de bichos. O Milton, com toda a paciência do mundo, ficou encarregue, todas as tardes, de rebentar dezenas de balões e colocá-los no lixo. Sim, a minha fobia por balões a rebentar não passou, mesmo depois de rebentar muitos mesmo em frente ao meu nariz, principalmente a fazer torções mais difíceis para fazer orelhas de pantera e focinhos de macaco. :PConfesso que andava muito ansiosa uns dias antes de ir à creche. Estava um pouco insegura e com receio da reação da Lara. Tinha receio que ela não deixasse os meninos brincarem com os balões. Também tive receio de bloquear e não conseguir fazer nada, enfim...Chegou o dia e, munida de uma mochila com o material necessário e um saco de viagem cheio de animais em balão que tinha feito na véspera (não fosse dar-se o caso de começar a rebentar os balões todos e não fazer nada de jeito) lá fui eu para a creche da Lara. Fui a andar muito devagar porque, com a barriga de 8 meses e a ameaça de uma dor ciática na perna direita, já não estou a conseguir caminhar sozinha muito bem.

 

A minha disposição, estranhamente, estava ótima e, quando cheguei à salinha da Lara, melhorou ainda mais.

 

A Lara correu para mim logo que me viu e o ambiente da sala era maravilhoso. Adorei estar ali a fazer balões para as crianças num ambiente extremamente alegre e descontraído. A educadora e auxiliares não podiam ser mais simpáticas e as crianças são super amorosas. Fiz balões para todas, com a Lara sempre ao meu colo e a trepar por cima de mim. Fiz girafas, borboletas, um coelho, cães e papagaios. As borboletas e os papagaios "tiveram bastante saída" :P Os macacos, crocodilos e panteras, deixei para dar os que já tinha feitos no fim, porque existia um risco grande de rebentar balões a fazê-los e não queria assustar as crianças..Posso afirmar que adorei a experiência! Por mim, ficava ali a manhã e a tarde toda. A Lara portou-se lindamente, fartou-se de me abraçar e de saltitar toda a feliz e foi uma assistente perfeita, imitando os sons dos animais que eu estava a fazer e oferecendo-os todos aos meninos. Também gostei de conhecer os coleguinhas da Lara, todos muito queridos e fofinhos. As crianças são mesmo amorosas! Se eu soubesse disso mais cedo, já tinha uma dúzia de filhos (assim se tivesse mais uns quatro zeros à direita na conta bancária).Adorei a oportunidade de poder estar ali com a minha filha. A alegria dela deixou-me completamente transformada numa manteiga mole. Senti uma felicidade e uma satisfação incomparáveis com qualquer outra coisa. Se me oferecessem uma viagem de um mês para um destino paradisíaco, não teria ficado tão feliz (mas quem quiser fazê-lo não se acanhe).Para o ano, já disse ao Milton que sou pessoa de arranjar uma bicicleta de uma só roda e um chapéu de palhaço. E isso porque cuspir fogo é capaz de não ser o mais adequado para fazer numa creche.Deixo-vos algumas imagens dos bichos que fui fazendo cá em casa.

 

Lara a brincar com balões

A Lara é capaz de se entreter imenso tempo com os balões coloridos vazios. Fica a separa-los por cores e adora que eu os conte com ela.

 

papagaio balão

 

crocodilo balão

 

borboleta balão

 

girafa balão

 

cão balão

 

macaco balão

 

flor balão

Ainda tentei fazer flores mas aquela "mama" ali no centro não me pareceu muito estética e desisti da flor.

 

Saco cheio de balões

 

Peguei neste saco cheio de animais de balão e caminhei alegremente para a creche da Lara, armada em "Pai Natal circence".

1 comentário

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.