Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Qui | 27.12.18

Como ensinar duas irmãs pequenas a dar-se bem?

irmas 2.jpg

Bom... não tenho receitas mágicas mas estou em aprendizagem constante.

Tenho a Lara de 4 anos e a Maria, de 2 anos, numa fase onde as brigas têm sido diárias e muito saturantes.

Com certeza que a maior parte dos pais de crianças pequenas irão identificar-se com isto: as brigas pelo mesmo brinquedo, as brigas por causa da quantidade de comida, das cadeiras, porque uma está a cantar na cama, porque a outra está muito encostada, porque uma tem a papa mais branquinha, porque a outra tem a papa mais grossa... enfim, brigam pelas coisas mais estranhas. Basicamente, brigam por tudo e por nada.

A Maria tem o hábito de bater na Lara e até nos pais quando se sente frustrada. A pessoa nem tem que estar relacionada com o problema dela, basta estar por perto que leva também. Obviamente contrariamos isso, explicamos que não se bate e também damos castigos (ou consequências ou o que lhe quiserem chamar). Não posso dizer que esteja muito melhor.

O que está melhor e muito é o relacionamento entre elas. Não só brigam muito menos, como as brigas são menos intensas. E têm brincado muito juntas.

Um dia destes a Lara até se sentou com a irmã a "ler-lhe" os livros que ela pedia. Os mais simples, de imagens, ela lia sozinha, os outros ela pedia-me para ler e repetia à irmã o que eu tinha dito. 

Eu elogiei imenso a atitude da Lara (reforço positivo) e disse-lhe que assim seria uma boa professora (ela diz que quer ser professora).

Também tenho conversado muito com a Lara sobre os irmãos e sobre o que eu gostaria que fosse o comportamento dela com eles. Expliquei-lhe que os irmãos poderiam ser das pessoas mais próximas que teria na vida e que a relação que tivesse com eles hoje, determinaria a relação que teria com eles no futuro (isto numa linguagem acessível que ela possa entender).

O facto é que, depois destas conversas (que tiveram lugar, à noite, só nós as duas, com muita calma e mimo) a Lara mudou imenso o seu comportamento com a irmã e, consequentemente, a Maria também mudou o seu.

Outra coisa que tenho feito é um esforço para não me irritar tanto, para não levantar a voz e para lhes dar o máximo de atenção possível quando chegam da escola.  Também evito ao máximo compara-las, muito graças a este livro que tenho andado a ler e me tem ajudado muito nestas questões.

Para já diria que está tudo ótimo entre elas e muito mais pacífico cá em casa. Pelo menos já não existem gritos de manhã e à noite (nossos e delas). :D

Como é aí por casa?

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.