Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Dom | 12.01.20

Como são: o Eduardo com 16 meses, a Lara com 5 anos e a Maria com 3 anos

 

Lara Maria e Eduardo.jpeg


Eduardo


Como o tempo não tem abundado por estes lados, hoje faço um texto "todos em um" para não deixar de registar como têm sido estes dias.

O Eduardo está cada vez mais adorável e enérgico. Ele não pára quieto e está sempre a fazer "escadas" e "escadotes" para chegar a todo o lado. Se eu pensava que a Lara era a alpinista da família estava muitíssimo enganada!

O rapaz escala tudo o que encontra pela frente, corre de um lado para o outro, dança, pula, anda sempre a jogar à bola, a martelar com os mais variados objetos e a arremessar coisas pelo ar. É muito raro ficar sentado e quieto durante muito tempo. E até acho piada que seja assim. Definitivamente é bem diferente das irmãs nisto.

Come que se farta. De tudo. Já come pedaços grandes de fruta perfeitamente. Também continua a mamar sempre que pode.

A personalidade continua fantástica: não se chateia quase nada, não faz grandes birras e em geral anda sempre bem disposto e a rir (desde que esteja num ambiente familiar). Adora dar abraços e beijinhos, principalmente às irmãs. Logo de manhã, é vê-lo a mandar a irmãs ao chão com os seus abraços cheios de entusiasmo. É um pudim de caramelo, o Eduardo!

 

Maria


A Maria está muito cómica: explica tudo perfeitamente bem e argumenta de uma forma que me deixa muito surpreendida (provavelmente porque já me devo ter esquecido de como era a Lara com aquela idade). Se lhe digo que não posso fazer qualquer coisa mais complexa com ela naquele momento, porque estou com o Eduardo ao colo, ela diz-me logo: "Podes pôr o Eduardo no berço e fazes o que te pedi."

Se estou ao telefone com o pai a dizer que ele pode deixar a Lara numa festa de aniversário e vir para casa, a Maria declara logo, um pouco preocupada: "A Lara não pode ficar lá sozinha! O pai tem que ficar a tomar conta dela."

Se digo à Lara que, se voltar a levantar-se da cama vai passar a dormir na escola (sim, eu sei que não é coisa que se diga e que existem opções melhores), oiço a Maria a dizer-lhe do andar de baixo do beliche, com um ar despreocupado e conhecedor: "Não te preocupes Lara. Não vais nada dormir na escola."

Lara

A Lara está uma menina muito crescida, salvo alguns episódios de birra que nos custam cada vez mais a "aguentar com firmeza". Creio que é absolutamente normal ainda fazer birras com 5 anos, mas confesso que me custam muito mais as birras dela do que as da Maria, mesmo sendo quase raras nesta altura.

Fora isso é muito meiguinha e atinada. Ajuda-me a arrumar a casa, dá-me abraços o dia todo, conversa muito e às vezes parece ter uma maturidade inesperada. Olho para ela e parece-me quase uma adolescente, mas devo ser eu que estou a ver coisas. 

Parece-me uma menina muito sociável, apesar de ser tímida, e está sempre a pedir para ir dormir a casa de amiguinhos e para os amiguinhos virem cá a casa dormir. Já tivemos algumas experiências neste sentido e correram bem, mas confesso que tenho muitas saudades dela quando não dorme em casa. Acho que tenho que trabalhar isto em mim antes dos miúdos irem para a universidade.

Agora está numa fase mais artística e menos "acrobata", felizmente. Anda sempre a desenhar e faz coisas muito engraçadas e coloridas. Faz desenhos para oferecer aos pais, aos irmãos e aos amigos. 

Continua a abalroar com abraços todos os pais de amigos de que gosta mais. Não sei onde é que ela vai buscar essa confiança toda mas é engraçado vê-la nestas manifestações tão efusivas de afeto, quando nós somos tão "reservados" nestas coisas.

Já sabe escrever e ler algumas palavras, mas em casa não estimulamos nada. Se, quando era filha única, estava sempre a ensinar-lhe coisas, agora estamos no extremo oposto. Acredito que ainda está numa idade excelente para brincar e que tem tempo para aprender a escrever. Se ela, no entanto, insistir, terei todo o gosto em ensinar-lhe a ler e a escrever mais.

A relação entre todos é muito engraçada. A Maria e o Edu brigam muito por brinquedos e passam a vida a roubar brinquedos e a dar sopapos um ao outro. Mas, se o Eduardo está sozinho no parque para eu fazer alguma coisa e começa a reclamar, a Maria vai logo tentar entrete-lo e alegrá-lo. 

A Lara e a Maria, apesar de lutarem constantemente pela atenção dos pais, dão-se cada vez melhor e estão a tornar-se muito cúmplices e companheiras. A Maria  admira muito a Lara, imita-a em tudo e têm passado horas a brincar juntas no quarto. Cantam, desenham, vêm livros, contam histórias, brincam com bonecas e até rezam juntas.

Delicio-me a observar os miúdos sem ser vista. Estes momentos são dos que mais contribuem para o meu índice de felicidade!

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.