Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Ter | 07.04.20

Diário de quarentena voluntária #4

unnamed (5).jpg

Cá estamos. Otimistas. A tentar organizar a tropa o melhor possível.

Gosto de dizer que estamos bem, o melhor possível. Não sei se é verdade. Estaríamos melhor com um quintal, ou mesmo uma quinta, para os miúdos poderem brincar ao ar livre e correr.

Mas estamos bem. O nosso apartamento apanha muito sol o dia todo e já decidi que vou passar a usar fato de banho para a apanhar banhos de sol com uma toalha estendida na cozinha.

Estamos otimistas. Pensamos positivo e tentamos fazer desta situação o melhor possível. Às vezes o melhor possível é gritar 43 vezes em vez de 54. Os miúdos gritam imenso, todos os dias. Deixamos a maior parte das vezes. Ou por não termos nenhuma ideia para parar a gritaria, ou por acharmos que talvez devam ser eles a resolver as suas questões, de vez em quando.

Quanto a mim não gosto de reter tensões e tenho surtos ocasionais para deixar sair a tensão dos dias. Dou uns gritos, digo umas coisas menos razoáveis e fico bem. Tenho a vantagem de desabafar com facilidade e isso ajuda-me imenso.

Continuo a fazer Yoga de 3 a 5 vezes por semana. É o meu luxo. Dele depende a minha sanidade mental.

Fazemos um esforço para não comer demais, por todos os motivos. Por ser mais saudável, para darmos um bom exemplo às crianças e para não termos que sair tantas vezes para fazer compras.

As miúdas estão cada vez mais cúmplices e amigas. Consolo-me a observá-las a brincar juntas, a fecharem-se no quarto para o Eduardo não as incomodar enquanto alimentam os seus peluches com grãos de bico seco ou brincam aos "chás" na caminha da Maria.

Quando as miúdas têm paciência incluem o Eduardo nas brincadeiras e é vê-los a correr e a brincar pela casa, todos contentes. Enche-me de alegria ver estes miúdos a crescer juntos. É o meu sonho de infância realizado em adulta. Quem me dera ter tido esta infância, com irmãos com quem brincar, brigar, falar, dividir tudo.

E assim vamos, sem grandes planos, sem grandes stresses, a gerir um dia de cada vez, com o vagar que a rotina dos dias comuns não nos permite.

Espero que por aí estejam todos bem de saúde e ânimo. :)

1 comentário

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.