Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Sex | 12.03.21

Meditação guiada e uma questão para desenvolver em psicoterapia

sharon-mccutcheon-zi1GRsLym3s-unsplash.jpg

Sabem quando fazemos uma meditação guiada e, a determinada altura, somos conduzidos para um lugar seguro, agradável e tranquilo?

Normalmente é um local luminoso, com água por perto, árvores, ervinhas, animais queridos e pessoas amistosas. Às vezes até existem umas pedras envolvidas, umas joias e umas luzes.

É aqui que eu tenho um problema com a meditação guiada. Bom... é aqui que tenho mais um problema com a meditação guiada. O primeiro começa logo no inicio. Não gosto muito de ser guiada. Não gosto que me digam o que fazer em geral e, no que diz respeito à minha mente, o sentimento mantém-se.

Depois temos o local agradável, seguro e repleto de sentimentos interessantes. Eu tenho um lugar assim. Mas não é dia, é de noite. Tem som ambiente e não são passarinhos a cantar. Também tem luzes e cores, mas são luzes néon e purpurinas prateadas.

Digo-vos que é um sítio maravilhoso e que produz em mim instantaneamente uma sensação de acolhimento, aconchego e felicidade.

Se calhar é por isso que não aprecio muito meditações guiadas. Começam a mandar-me para um sítio cheio de árvores e luz e eu começo a sentir logo vontade de fechar os olhos, como quando se sai de um after hours às 10 da manhã de um dia de verão.

Mais alguém que não goste de ser enviado para florestas encantadas (ou mesmo reais)?

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.