Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Ter | 20.11.18

Meditem todos os dias

buda 7.jpg

 

Comecei a meditar quando tinha 13 anos, no pico da adolescência e de um forte questionamento existencial.

Na altura eu lia muito sobre todos os temas. Lia livros documentais, romances, livros de psicologia e até livros de fotografia. Lembro-me de estar na biblioteca antiga de Alpiarça, sentada sozinha numa mesa com um livro enorme do fotógrafo Sebastião Salgado, um livro em que peguei ao acaso e que me deixou fascinada durante horas, completamente presa ao impacto que as fotografias dele causavam em mim. Talvez tenha sido esse um dos meus primeiros contactos com a arte e o seu efeito sobre mim.

Foi também meio ao acaso que peguei num livro sobre meditação. Levei-o para casa, li-o todo e, logo depois, decidi fotocopia-lo para me servir de manual para a meditação.

E foi aí que comecei a meditar. E  a mudar a minha vida.

Lembro-me de ter experiências muito fortes nessa altura e de perceber o poder da meditação de uma forma muito clara e prática. Nem todas as experiências foram boas mas o facto é que tinham o poder de alterar bastante o meu estado de consciência e de perceção da realidade. Lembro-me de meditar no meu quarto e, pouco depois, o meu estado de espírito se modificar completamente. Surgia uma calma e uma serenidade quase inexplicáveis, pelo menos para mim, que pouco mais era que uma criança.

A meditação nunca desapareceu dos meus interesses mas nem sempre foi uma prática regular. Existiam fases em que meditava muito e outras em que não meditava.

Mais de 20 anos depois de ter conhecido a meditação, eis que volto a ela de uma forma muito mais regular e consciente.

O facto é que agora, com 36 anos, sinto que tenho uma maturidade maior para perceber o que é a meditação e como pode exercer uma influência positiva em cada segundo da minha vida. Por outro lado, com 3 filhos pequenos, sinto uma necessidade enorme de me manter focada, serena e com toda a clareza mental que puder arrecadar. :)

E tem funcionado de uma forma fantástica. O facto é que sinto uma diferença muito grande no meu auto-controlo e clareza mental desde que comecei a meditar regularmente. Posso dizer-vos que estou bastante impressionada.

Assim, de repente e sem pensar muito, deixo alguns efeitos que a meditação tem na minha vida:

- Controlo de impulsos alimentares (sempre tive uma relação esquisita com a comida que, agora, está muito mais controlada);

- Maior capacidade de controlar as emoções (ainda tenho um longo caminho a percorrer mas, neste momento, já noto melhoras significativas);

- Qualidade de sono;

- Serenidade quase constante;

- Empatia pelo próximo;

- Maior foco no momento presente (também é algo que tenho que melhorar bastante mas estou satisfeita com a evolução deste aspeto);

- Uma calma e um discernimento crescentes a lidar com os desafios da maternidade (creio que este ponto é mesmo o mais importante de todos).

Recomendo muito a prática de meditação. Requer um pouco de persistência e paciência no inicio mas, a partir do momento em que se torna um hábito, é algo que faz toda a diferença na nossa qualidade de vida.

Para além da meditação, recomendo os vídeos da Monja Coen que são tudo de bom. 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.