Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Qui | 12.01.17

O arroz doce da minha avó

arroz doce

A minha avó sempre cozinhou muito bem. Cozinhava coisas muito simples mas eram feitas com tanto cuidado, com tanto amor que, até hoje, deixaram deliciosas memórias na minha mente. Agora, já com 85 anos e quase sem ver, já não pode cozinhar mas deixou-me o gosto por um arroz doce sequinho, bolos com um travo a limão, fritos de Natal e um arroz de forno dourado e crocante.

O pão de ló que a minha avó fazia era o melhor do mundo… nunca estava queimado ou seco demais, ou crú. Não tinha qualquer defeito. Era sempre tão bom, tão amarelinho e bonito!

Ela fazia-o numa patusca, um forno elétrico redondo, que também era usado para fazer um arroz de frango delicioso como nunca mais comi outro. O arroz ficava dourado de manteiga e rodelas de chouriço, com pedaços de frango crocante por fora e super macio por dentro. Acho que até hoje é das minhas comidas preferidas, aquela comida de conforto que nos sabe sempre pela vida. O problema é que nunca mais comi um arroz assim.

A única coisa em que me atrevo a copiar a comida da minha avó Leontina é o arroz doce. Tanto andei a experimentar receitas que cheguei a uma que se aproxima do arroz doce que a minha avó fazia: durinho, cozido no ponto certo, e com um sabor delicioso a limão e canela. Nunca gostei muito de mais nenhum arroz doce. Então aqueles que parecem pudins, cheios de molho ou com o arroz muito mole, ou com demasiado ovo, ou com pudim flan à mistura… mal consigo comer. O da minha avó é que era bom: simples, durinho e maravilhoso.

Deixo aqui a minha versão dessa maravilha:

 

Arroz Doce

Ingredientes

1 copo (mais ou menos 200 ml) de arroz carolino
1 copo de água
4 copos de leite
3/4 de copo de açúcar
2 gemas de ovo
raspa de um limão
um pau de canela
1 pitada de sal
canela em pó para decorar

Cozer o arroz numa panela com a água, o leite, a raspa de limão, o pau de canela e uma pitada de sal, em lume brando e mexendo sempre.

Quando o arroz estiver quase no ponto (eu gosto dele pouco cozido) junta-se o açúcar. Continuamos a mexer sempre enquanto coze mais uns 3 minutos. Desliga-se o fogão e juntam-se as gemas de ovos batidas com um pouco de leite, em fio. Vai-se mexendo sempre para evitar que os ovos cozam e apareçam pedaços grandes de ovo no arroz.

Deixa-se arrefecer e polvilha-se com bastante canela.

Fica muito bom e é fácil de fazer.

 

O último que fiz não durou 24 horas. O Milton até o comeu ao pequeno-almoço.

1 comentário

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.