Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Seg | 18.12.17

O que ando a ver no Netflix

David-Bowie1.jpg 


- Documentários sobre o David Bowie e sobre o George Harrison.

Isto é coisa para levar semanas a ver. Vemos um bocadinho à noite, depois das miúdas estarem a dormir e estamos a gostar muito. Estamos a ver os dois ao mesmo tempo em dias intercalados.
Sou daquelas pessoas que gostam de saber mais sobre as pessoas que criam as coisas de que gosto, sejam músicos, escritores ou outros artistas e estes documentários estão bem feitos e são mesmo interessantes. Ainda por cima falam de uma fase incrível para a música e a cultura e, na minha opinião, para a estética: os anos 60. Delicio-me a ver.

master-of-none-still.jpg

 


- A série “Master of None”

Uma amiga tinha-me falado na série há imenso tempo e resolvemos experimentar.  É uma série cómica e curtinha com cerca de 20 minutos. Adoro. A história anda à volta de um curioso grupo de 4 amigos: um ator indiano, uma lésbica afroamericana, um caucasiano gigante e um asiático muito politicamente correto e bem parecido.
Tem um humor muito contemporâneo que retrata a minha geração. É mesmo muito giro e descontrai imenso.
Neste momento não estou virada para programação muito “pesada” e esta série encaixa na perfeição no tempo que temos disponível.

gilmore girls.jpg

 

 

- A série “Gilmore Girls”


Nunca tinha visto e fico mesmo feliz por ter imensos episódios à minha espera.
O ambiente, a história e as personagens desta série são os ingredientes perfeitos para o que chamo de “sessões de massagens ao cérebro”. Adoro.
Geralmente vejo a série quando estou sozinha (embora o Milton também goste de ver) e quero descontrair e descansar. É perfeita: engraçada, com um cenário giro, diálogos humorados e inteligentes e personagens muito engraçadas. Às vezes pergunto-me se não será demasiado superficial para depressa compreender que não. Sinto-me verdadeiramente “massajada” a vê-la, com um chá quentinho e uma manta cor de rosa. Até a consigo ver com a Maria e a Lara a brincarem no sofá ao meu lado. É o verdadeiro sinónimo de descontração nesta fase da minha vida. :P

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.