Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Ter | 20.06.17

Tenho vivido numa grande ilusão

Sou uma pessoa cheia de teorias e de respostas, essencialmente no que concerne aos problemas dos outros.

 

Quando é comigo é tudo muito intenso e emocional. O meu poder de raciocínio fica completamente toldado e tenho comportamentos completamente opostos àquilo que acredito ser o melhor.

 

Sou totalmente a favor de uma vida mais calma, sem stresses nem grandes ambições materiais. Tenho uma casa pequena, com poucas coisas, uso apenas 1/3 do roupeiro com as minhas coisas, não preciso de muito para ser feliz (digo eu).

 

Costumo sentir-me feliz com a vida que tenho, que está totalmente de acordo com as minhas expetativas, e sinto-me grata todos os dias.


No entanto, depois de ter começado a experimentar uma atitude mais meditativa nas várias coisas que faço ao longo do dia, vejo que tenho uma atitude completamente inversa àquilo em que acredito.


Apesar de não andar a correr atrás de dinheiro ou bens materiais, percebi que tenho andado sempre a correr, principalmente depois de ter duas filhas. 


E tenho anddo a correr atrás do quê? 


De tudo.

 

Quero estar sempre presente na vida das minhas filhas, mas também quero estar presente na vida de outras pessoas, quero continuar a ler regularmente, a ver filmes, a escrever neste blogue, pensar em novas formas de trabalhar, a ler muito sobre os 1000 interesses que tenho, a estudar sobre os mais variados assuntos, a organizar e tratar da casa, a aprender novas receitas saudáveis, a ver vídeos no youtube sobre maternidade, decoração, mindfulness, meditação, minimalismo, quero ouvir música, sair, ver concertos, exposições, aprender a nadar, praticar yoga, fazer caminhadas, cuidar mais de mim...


Eu estou sempre a correr. E não consigo fazer nenhuma coisa com o mínimo de concentração. Parece que estou sempre a despachar tudo.

 

Se me sento no sofá por 5 minutos, começo a ficar nervosa e tenho que me levantar para fazer qualquer coisa. Se, por acaso, me encontro sozinha em casa, sinto-me perdida e sem perceber o que fazer com o tempo...

 

É uma desorientação total que me está a causar mesmo muita ansiedade.


De modo que resolvi abrandar. 

 

E para isso escrevi este texto, como uma espécie de autoreflexão e tomada de consciência desta situação, e aceitei que algumas coisas vão deixar de ter prioridade na minha vida.

 

Então seguem as dicisões que tomei recentemente:


- Não vou correr para (quase) nada. Vou caminhar devagar, não vou apressar as minhas filhas para andarem mais depressa, comerem mais depressa ou qualquer outra coisa. Talvez chegue atrasada a alguns locais mais vezes, talvez faça menos coisas, mas tenho a certeza que terei uma vida mais feliz se andar mais devagar.

 

- Desisti de ver séries. Vejo na mesma mas só quando é possível (já não faço tempo para isso).

 

- Vou livrar-me de metade dos poucos livros que tenho na sala. Não vou conseguir ler tudo nos próximos tempos por isso vou livrar-me do ruído visual que me provocam. Se já foram lidos ou se não serão lidos tão depressa, vão ser arrumados longe da vista.

 

- Vou meditar mais vezes, embora não o torne uma obrigação. Será quando puder e me apetecer.

 

- Vou continuar a aprender coisas novas mas apenas uma de cada vez e de acordo com prioridades muito bem definidas. 



- Vou fazer um esforço mesmo muito grande para me focar verdadeiramente em tudo o que faço. Isto vai ser o mais difícil para mim que tenho sempre 1000 ideias e pensamentos a dançar na minha cabeça (que mulher não tem?) mas creio que será o mais compensador de todos os meus objetivos.

 

Para colocar este novo modo de vida em prática tive que tomar decisões que me custaram um bocado. Tive que abdicar de coisas que eram importantes para mim para poder fazer outras mais plenamente. 

Mas, depois de aceitar que teria de ser assim, o sentimento de tranquilidade é muito compensador. 

 

No seguimento desta "conversa" vou continuar por aqui, talvez com menos frequência, mas (espero eu) com muito mais qualidade. :D

 

Beijinhos 

 

 

1 comentário

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.