Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Qua | 03.10.18

The Let Down: Mães, vão querer ver esta série (acho eu)

the let down 7.jpg

 

Desde que o Eduardo nasceu que tenho papado séries como uma maluca. Vejo temporadas inteiras em poucos dias e estou capaz de fazer reviews de dezenas de séries do Netflix. 

Coloca-se a questão:

"Ah e tal, já que tens tanto tempo livre que tal fazeres algo de útil? Limpar a casa, escrever, lavar roupa, se calhar despachar as forras dos sofás da sala que estão há semanas à espera que te chegues à frente...?"

Eu explico: o Eduardo é bebé fofo e querido, maravilhoso, só chora quando tem fome e está sempre descontraído e bem disposto, todavia... não tem dormido de dia mais de 10 minutos  de cada vez a não ser que esteja no colo. Colo, colo, colo. O dia todo. É por isso que não chora! :)

Quando estou com ele ao colo não consigo fazer grande coisa além de... ver séries, ou documentários, ou palestras ou ouvir podcasts. Por isso é o que faço. :P

E nisto das séries não me tem apetecido ver nada de pesadote ou muito intenso, apesar de continuar a ter entre as minhas séries preferidas a "Breaking Bad", "Os Sopranos", "Transparent", "House of Cards" e "Narcos" que não são propriamente séries leves e cheias de humor.

Tenho visto sobretudo séries de humor como "Modern Family" e séries inconsequentes  leves como "Suits" ou "Gossip Girl" (sério, estou a ver esta também, não me perguntem porquê, sugiram-me, antes, coisas melhores) :D.

E... vi em menos de nada a "The Let Down" uma série de comédia australiana  sobre uma mãe de um bebé de dois meses e as suas dificuldades diárias como mãe "de primeira viagem".

A série é deliciosa. As personagem são fantásticas e até realistas de uma forma muito cómica.

As situações retratadas na série são reais e facilmente nos identificamos com elas, todavia, são completamente caricaturadas e exageradas. Ali só se mostra o lado mais desafiador da maternidade, como se 99% do tempo que passamos com os bebés fosse de cansaço constante, o que não é verdade (pelo menos na maioria dos casos).

Eu não me identifico especialmente com aquela mãe que a quem, de facto, a maternidade parece pesar bastante, mas tenho-me divertido mesmo muito a ver a série. As soluções que aquela mãe (e pai) encontram para lidar com os desafios da maternidade são muito peculiares (e irreproduzíveis em casa) e tenho achado delicioso poder, nesta fase, ver uma série destas.

Recomendo a todas as mães que estão em casa com os seus recém nascidos (ou àquelas que gostam de se rir de si próprias, como eu).

 

1 comentário

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.