Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Dom | 14.10.18

Tirei o dente do siso. Querem (mesmo) saber como foi?

dentista.jpg

 



Se calhar não querem.  Mas eu conto na mesma.

Os meus dentes do siso estavam cá todos muito sossegadinhos, já com massa de tratamento e tudo, porque tenho que conservar todos os dentes que consiga arranjar. Não me doeram especialmente a nascer e também não estavam tortos pelo que nunca me dediquei muito a pensar neles.

Até que um deles me começou a doer sempre que comia com ele ou passava a língua por cima dele. Não era uma dor constante mas uma dor aguda ao toque.

Fui à dentista (uma dentista a que nunca tinha ido e que adorei) e fiquei a saber que poderia tentar desvitalizá-lo, sem garantias de que ficasse bom, ou arrancar e colocar implante. Ora a minha experiência com desvitalizações podia ser melhor e já tinha uma falta de dente ao lado deste siso, por isso optei pela extração, opção que a dentista também considerou melhor.

Com os dentes prefiro optar por soluções mais duradouras e eficazes. Sei por experiência própria que o barato sai caro e que o caro é um investimento muito bom na nossa saúde oral e mental. Por isso disse que sim, que podíamos proceder à extração. Certifiquei-me de que poderia continuar a amamentar e avançámos.

E foi uma hora (ou mais) muito intensa de ... ansiedades. Sim, foi o tempo que levou a arrancar o dente, com a ajuda da broca e partindo-o em vários pedaços. Foi bem tenso para mim, que estava à espera de dores horríveis, de sons estranhíssimos e sei lá o que mais.

Foi uma ansiedade escusada porque a dentista é tão querida que fez tudo com muita delicadeza e o facto é que, comparando com as minhas últimas experiências no dentista a desvitalizar dentes, arrancar o siso até foi algo que se fez muito bem.

Para além da anestesia, tomei um comprimido para as dores, porque estava a sentir algo no maxilar, e esta foi a parte menos interessante porque fiquei dois dias sem dar de mamar ao Eduardo, até os componentes do comprimido saírem do organismo. Não teria que o fazer mas optei por faze-lo para ficar mais descansada.

Saí da dentista bastante otimista e fui logo beber um café e comer uma queijada molinha, apesar de ter a boca dormente e cheia de pontos.

E tudo correu bem até passar a anestesia e a cara começar a inchar imenso.

Como não queria prejudicar a amamentação tomei apenas paracetamol 1000 para as dores de 8 em 8 horas e antibiótico compatível com a amamentação.

Durante uma semana comi apenas nestum mel, bolacha Maria amolecida em chá, e sopas. Uma semana depois já não me doía quase nada, a cara estava quase totalmente desinchada e a partir daí era como se nada fosse. Também tirei os pontos nessa altura e não custou mesmo nada.

Uma nota cómica:

Uns dois dias depois de ter extraído o dente, estava com a cara inchadíssima e cheia de dores (porque o efeito do paracetamol passava ao fim de 3 horas e só 5 horas depois podia tomar outro) e lembrei-me de ir ver relatos de extrações do siso no Youtube. A minha intenção era ficar mais descansada e ouvir nos relatos que passados três dias ficaria tudo bem e tal...
Entre os vários vídeos que vi, encontrei um de uma rapariga brasileira, muito gira e delicada e com uma vozinha muito doce (estão a ver o género não estão?).
Ela relatou uma esperiência horrível - até porque arrancou os quatro dentes do siso ao mesmo tempo (WHATTTTTT?!!!!!) - e chegou à parte em que ia tirar os pontos, precisamente a parte que me faltava. 
Relembro que fui ver os vídeos para encontrar experiências positivas que me deixassem mais descansada mas não resisti ao jeito fofinho da senhora e continuei a ver.
Bom... ela disse que lhe doeu imenso a tirar os pontos e ao tirar os pontos do segundo dente, desmaiou.
Nesta parte, quando ela diz que desmaiou, imaginem a minha reação? Relembro que estava, na altura, cheia de dores e com cara de quem tinha uma bola de ténis escondida na bochecha esquerda.

a) comecei a chorar muito aflita e angustiada
b) liguei imediatamente para a dentista em pânico e a pedir explicações detalhadas sobre o processo de tirar os pontos
c) desliguei a televisão e fui fazer algo de útil
d) deixei de ver este vídeo e fui ver antes vídeos dos Gato Fedorento, que sempre são mais alegres
e) comecei a rir como uma maluca, mas a rir às gargalhadas, altíssimo!

Pois, foi a opção "e".

Eu ri-me tanto, mas tanto, que caíam-me lágrimas dos olhos até ficar com a cara toda molhada. Há imenso tempo que não tinha um ataque de riso destes, muito menos sozinha. Deve ter sido dos nervos só pode. Eu não conseguia parar de rir e de chorar a rir. Era um tal Hihihihihi... Ahahahahahah... Hihihihihihihi que parecia que me tinham contado a melhor anedota do mundo enquanto me enchiam a carteira de notas de 500 euros.

Ainda agora, só de me lembrar da rapariga a dizer que tinha desmaiado a tirar os pontos, me dá vontade de rir. Mas não me estava a rir dela, estava a rir-me de mim própria, naquela situação dolorosa e a saber que até podia desmaiar de dor a tirar os pontos... E a vozinha da rapariga a dizer que desmaiou a tirar os pontos. Não vos consigo explicar o que senti mas foi mesmo hilariante.

Conclusão disto tudo: quando fui tirar os pontos estava preparada para algo tão mau que fiquei estupefacta com o facto de ter sido praticamente indolor. E nem foi a dentista que tirou. Foi a assistente. Ela disse que ia ver só uma coisa e em menos de nada, com muita delicadeza, aplicou uns cortes na linha com uma tesourinha, puxou o fio e já estava. 

Agora é fazer os implantes e ficar, finalmente, com a dentição completa outra vez. :D


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.