Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Vinil e Purpurina

Parafernálias sobre a minha vida e a minha mente.

Seg | 15.10.18

Vamos falar sobre a minha infância - Tag Infância


1. Fotos da infância.

Terei fotos mais representativas da minha infância mas, de momento, não as tenho no meu computador por isso ficam estas: uma com o meu pai, na cozinha da minha avó Leontina, e uma de quando tinha uns 7 anos, acho que tirada no casamento da minha tia Ana Maria (reparem na gola dos anos 80) :) 

2017-12 - 1.jpg

Screen Shot 2018-10-10 at 11.25.41.png

 


2. Uma memória boa da infância.

Tenho as melhores memórias de infância associadas à praia da Costa da Caparica e à casa da minha tia Anália. Adorava ir à praia e ficávamos muitas vezes a dormir em casa da minha tia Anália, em Almada. Creio até que é por isso que hoje vivo num apartamento pequeno e gosto tanto. 
O T2 onde a minha tia vive é umas das casas mais acolhedoras onde já estive e a minha tia uma das pessoas mais alegres e amáveis que já conheci. A minha tia é extremamente arrumada e sabe, com certeza, como transformar uma casa num lar. Lembro-me sobretudo de lá estar com a minha prima Margarida, 2 anos mais nova do que eu, e das nossas aventuras e brincadeiras ali e na praia. Lembro-me dos nossos banhos antes de jantar, dos jantares animados e das nossas brincadeiras no quarto do nosso primo Paulo, filho da minha tia Anália e mais novo que nós uns aninhos. Lembro-me de eu e a minha prima andarmos a brincar com as bases de senhora que encontrámos na casa de banho, achando que ninguém ia notar. Claro que, quando aparecemos na sala de jantar com a cara toda cheia de base, fomos logo descobertas e nem estávamos a perceber porquê. Hoje as minhas filhas fazem coisas do género e farto-me de rir.



3. Um cheiro da infância.

O cheiro a manjerico, que havia em vasos no quintal da nossa casa e que eu adoro até hoje.


4. Brincadeira preferida na infância.

Quando era criança brincava muito sozinha e o que me lembro de gostar mais de fazer eram desenhos. Fazia todo o tipo de desenhos, desde pinturas com aguarelas e guaches, a banda desenhada, desenhava roupas e vestidos, tipo estilista... etc.



5. Desenho animado  preferido na infância.
Ana dos Cabelos Ruivos. falei sobre isso aqui.

6. História engraçada da infância.

Quando tinha uns 6 anos, por influência da minha avó Maria que era muito religiosa, pedi para ir à catequese e à missa. Uma vizinha muito querida que também era religiosa , a Diamantina, levava-me à missa todos os domingos.
Um dia, na missa desencontrei-me dela e fiquei com medo de me perder. Fui então ter com uma senhora que nos costumava dar boleia de carro e a senhora levou-me a casa. Nesse dia não estava combinado a senhora dar-nos boleia por isso a minha vizinha Diamantina não estava connosco.

Quando cheguei a casa os meus pais ficaram muito admirados de me verem porque a minha vizinha Diamantina já lá tinha estado, muito chorosa e aflita, dizendo que me tinha perdido e não sabia onde eu estava.

Coitada da senhora. Imagino a aflição dela quando percebeu que eu não estava em lado nenhum. Ainda por cima a senhora que me deu boleia ainda parou em casa de uma amiga ou uma irmã e ainda por lá ficámos um bocado. :)

É engraçado pensar em como eram as coisas nos anos 80. Uma senhora leva uma criança de boleia e ainda faz umas visitas com ela (nem me lembro o que lhe disse ou o que me perguntou sobre com quem estava mas alguma coisa deve ter perguntado) e "está-se bem". 

Hoje em dia é impensável uma situação destas. Ninguém pega numa criança assim. Mas era tudo boa gente e com as melhores intenções. Eram outros tempos onde parece que não existia tanta desconfiança. :)


7. O que querias ser na infância?

Passei por várias fases diferentes e já quis ser arqueóloga, advogada e mais tarde jornalista (que é, realmente, o mais parecido com o que faço hoje profissionalmente).

8. Como eras na escola?

Era muito boa aluna a todas as disciplinas menos Educação Física (até ao 7º ano, em que passei a ser só boa aluna). Mas a minha vida social era nula. 
Tive uma amiga muito querida na primeira classe - a Madalena - mas depois ela foi viver para longe durante uns tempos e nunca mais tive uma amiga igual. Até ao 7º ano (altura em que houve uma mudança de turma e metade da minha turma se juntou a outra) eu não tinha amigos e andava sempre sozinha a maior parte do tempo. Isso aconteceu porque fiquei sempre em turmas muito problemáticas com as quais não me identificava, com miúdos mais velhos, repetentes, oriundos de famílias onde existiam sérios problemas sociais e mesmo de violência. Por outro lado, nunca estive na pré escola e pouco contacto tinha tido com crianças da minha idade até entrar para a primeira classe. Era um autêntico "bichinho do mato", muito pequenina (e mais nova que a maioria porque entrei na escola com 5 anos) e muito assustada com tudo. Obviamente que, com este perfil, sofri de bullying durante a escola mas, felizmente, nada que não tenha sido ultrapassado. Posso afirmar, que a minha infância na escola foi "pesada".


9. Qual era o teu medo na infância?

Eram tantos que nem sei bem por onde começar. Tinha os medos normais de crianças, de perder os pais, e tinha outros que me foram incutidos por ignorância dos adultos.
Depois tinha também muito medo de pessoas em geral, dos colegas de escola, das crianças e dos estranhos.

Mas, quando entrei na adolescência e mudei para uma escola na cidade vizinha, Almeirim, tudo mudou e  melhorou bastante. Conheci mais pessoas e cresci muito. :)


10. Com quantos anos começaste a interessar-te pelo universo feminino?

Talvez com 13 anos mas, realmente, se universo feminino é aqui entendido como maquilhagem, roupas, etc, acho que este interesse nunca se apoderou genuinamente de mim, só muito levemente. :D

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.